Claudio de Lima

"Passo e fico, como o Universo" O Guardador de Rebanhos - Fernando Pessoa

Textos


A voz da floresta

Pede socorro
Se pudesse falar, gritaria
Até que todo o planeta a ouvisse

Tolice
é pensar que ela não tem voz
Ela grita sem parar
Desde a nascente do Amazonas
até sua foz no Pará

Ela grita
Ela chora
E implora para ser ouvida
Por quem não a enxerga
Por quem não a preserva

Chora
Ao som da motosserra
da morte cega
por cada arvore tombada
Chora
pela terra manchada
com o sangue de sua carne

Chora
pelo fogo que arde
sobre sua pele
e repele milhares de aves
que fogem, fogem e fogem
para onde?
Chora
pelo rios que secam
vazios de vida
Pelo verde
que muda de cor e avisa
que não haverá fruto
que não haverá flor

Chora
Pelos povos das florestas
de mãos honestas e bondosas
de olhares que enxergam
para além das matas
para além da tribo
que enxergam a essência
de tudo que existe

Chora
por cada broto de planta
de bicho e de gente
que cresce
e nem sente
que de repente no porvir,
o dia pode amanhecer diferente
e que teremos que ser fortes
para resistir de verdade
antes que seja tarde...
Claudio Lima
Enviado por Claudio Lima em 13/01/2019
Alterado em 13/01/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras